Publicações Populares

Escolha Do Editor - 2020

Mencionando o Mali

Roger Simon faz um comentário irritante sobre o debate da noite passada:

E há outro problema com a política externa, que Romney demonstrou quando mencionou duas vezes o Mali.

Mali? Romney não está ciente de que, em uma pesquisa citada pela Roper patrocinada pela National Geographic Society em 2006, 75% dos jovens americanos não conseguiram encontrar Israel em um mapa - o que pode ser compreensível, considerando que é bem pequeno -, mas também que 50% não conseguiram encontrar Ohio? Ou Nova York?

E ele quer que as pessoas saibam do Mali?

A falha nas menções de Romney ao Mali na noite passada não era que a maioria dos eleitores provavelmente não sabe onde está o país. O problema era que ele mencionou a Al Qaeda na presença do Magrebe Islâmico no país, sem um esforço mínimo para vincular isso aos efeitos da guerra da Líbia. Ele simplesmente supôs que recitar várias coisas indesejáveis ​​de todo o mundo funcionaria como crítica, e ele assumiu como certo que qualquer coisa que der errado em algum lugar do mundo pode ser colocada à porta da administração. Foi um caso em que ele poderia ter recebido uma crítica legítima e não sabia o que fazer com isso.

O ridículo sobre suas referências ao Mali no debate é que Romney evidentemente se lembrava o suficiente de seus briefings para saber que ele deveria dizer algo sobre isso, mas ele não podia fazer parte de uma discussão maior. Seu espaço de manobra foi severamente limitado por seu próprio apoio à guerra da Líbia e pelos pequenos detalhes que ele nunca mencionara Mali nos últimos dez meses em nenhum de seus discursos ou críticas sobre política externa. Não lhe ocorrera mencioná-lo antes e agora parecia surgir do nada. É como se seus conselheiros dissessem: "Lembre-se de mencionar Mali hoje à noite", e ele lembrou, mas isso foi tudo. Mais preocupante do que a má compreensão da geografia pelos americanos é a pouca compreensão de Romney sobre questões de política externa, que será muito mais conseqüente se ele for eleito do que o fato de os jovens americanos não conseguirem localizar países estrangeiros em um mapa.

Assista o vídeo: A Agenda Reptiliana - David Icke: Entrevista com Credo Mutwa - Parte 1 (Fevereiro 2020).

Deixe O Seu Comentário