Publicações Populares

Escolha Do Editor - 2020

Quem venceu a Guerra Fria?

Como todos já devem saber, mas provavelmente não sabem, este é o vigésimo aniversário da queda do Muro de Berlim. A primeira brecha nesse muro desencadeou uma reação em cadeia que acabaria por derrubar governos comunistas e libertar pessoas em metade da Europa. Terminaria também a Guerra Fria entre o Ocidente e o Bloco Soviético, diminuindo substancialmente a possibilidade de aniquilação nuclear. No entanto, quando as pessoas dizem que o Ocidente - ou mais particularmente, a América - venceu a Guerra Fria, não sei exatamente o que eles significam.

É claro que a América ainda existe como um país, enquanto a União Soviética não, mas em uma guerra que supostamente é sobre idéias e ideais, a vitória deve me algo mais do que superar seu oponente.

Penso que a maneira mais apropriada de abordar o assunto é perguntar: quem mais se beneficiou com o fim da Guerra Fria? Claramente, são os povos da Alemanha Oriental, Polônia, Estônia etc. que mais ganharam. Eles são muito mais ricos do que eram há vinte anos e, mais importante, são capazes de falar e pensar como bem entenderem, sem medo de prisão, tortura e possivelmente morte nas mãos de seus governos. Até a Rússia, que ainda está longe de ser livre, é um lugar muito mais livre do que era sob os soviéticos. Jornalistas dissidentes ainda aparecem desaparecidos, mas ser conhecido como jornalista dissidente na União Soviética era quase uma impossibilidade. Todos os estados pós-comunistas têm um longo caminho a percorrer para completar a liberdade, mas com poucas exceções, agora estão todos muito mais próximos desse ideal do que há vinte anos.

Mas podemos dizer que o povo dos Estados Unidos Além disso venceu a Guerra Fria? Infelizmente, eu não acredito nisso. Após a Segunda Guerra Mundial, o exército permanente dos Estados Unidos provavelmente teria diminuído de volta aos pequenos números de tempos de paz que existiam na maior parte de nossa história, se não fosse a Guerra Fria. Em vez disso, os militares dos EUA se espalharam pelo mundo, supostamente para manter o país livre dos horrores do comunismo. Ironicamente, manter o povo da América livre exigia escravizar uma grande porcentagem de seus jovens através do primeiro esboço do país em tempos de paz. E, é claro, os soldados devem ser alojados, equipados, alimentados e pagos, o que exigiu um nível de tributação mais alto do que os americanos estavam acostumados em tempos de paz. Vinte anos atrás, os Estados Unidos poderiam ter revertido esse rumo e colhido o dividendo da paz, mas, em vez disso, o governo pressionou adiante e estendeu a influência americana para o antigo bloco soviético assumindo novos poderes e responsabilidades ao longo do caminho.

Não, a América perdeu a Guerra Fria. Podemos ser mais ricos do que quando começou, mas uma parcela maior de nossa renda vai para o governo. Pior ainda, os Estados Unidos agora lideram o mundo na prisão - não apenas pela taxa, mas também em termos absolutos, com 1 em cada 150 americanos atrás das grades. Isso é em grande parte uma conseqüência da Guerra às Drogas, que é uma guerra que o governo americano faz contra seus próprios cidadãos. Nos anos da Guerra Fria e desde então, nos tornamos substancialmente menos livres.

Um direito que ainda está amplamente intacto é a Liberdade de Religião, mas a maioria das versões do cristianismo americano hoje tem pouca semelhança com os ensinamentos encontrados nos Evangelhos. Hoje, neste país, as pessoas tendem a adorar o Jesus americano, mais conhecido por matar “hajis” do que por oferecer salvação. O cristianismo se tornou uma religião estatal neste país, assim como era para o imperador romano Constantino, e é usado da mesma maneira que justifica o poder militar. Talvez ainda pior do que usar o Príncipe da Paz para a guerra, o presidente (desde que ele seja do partido certo, é claro) agora é visto pela maioria como um avatar de Deus na Terra, se não o próprio Deus. Muitos cristãos americanos renderam tudo a César e não têm mais nada para Deus.

O mundo é um lugar muito mais livre do que era há vinte anos, mas a América não é. Kierkegaard escreveu certa vez: “Que escravo acorrentado é tão livre quanto um tirano!” Como o tirano do mundo, a América é escravizada a todos. Verdadeiramente, a América ganhou o mundo, mas perdeu sua alma.

Assista o vídeo: EUA vs. URSS. GUERRA FRIA (Fevereiro 2020).

Deixe O Seu Comentário